Artigos & Informativos

Sempre Interessantes e Úteis Para o Seu Dia a Dia

Pessoas acima do peso dão o exemplo e pesquisas médicas ajudam a tirar o estigma de que obesidade equivale a ser sedentário.
Você já riu do corpo de outra pessoa? Falou mal daquele amigo que engordou? Disse para alguém perder peso por causa da saúde? Todas essas atitudes se enquadram em gordofobia e demonstram como o preconceito com essa parcela da população está enraizado na sociedade.
A associação entre peso elevado e problemas de saúde é reforçada no meio médico, no qual a obesidade e o sobrepeso causam preocupação. “O excesso de gordura leva a um processo inflamatório crônico, capaz de acarretar uma sucessão de problemas...”, explica a endocrinologista do Hospital Santa Luzia Cristina Blankenburg.
Veja a reportagem completa AQUI.

Cuidar da saúde a partir da prática de exercícios e uma rotina tranquila nem sempre é o suficiente para conseguir o bem-estar. Aquela história de que alimentação é a base de tudo pode ser uma aliada para o dia a dia longe de estresse, ansiedade, depressão e, até mesmo, de algumas dores, como a enxaqueca. Estudos já evidenciaram que determinados alimentos dão a sensação de calmaria no organismo, enquanto outros podem atuar como estimulantes.
"Apesar da serotonina existir naturalmente no organismo, às vezes, os níveis podem estar baixos, tornando o indivíduo vulnerável a sintomas como tristeza, aumento da fome e depressão", indica a endocrinologista Cristina Blankenburg do Hospital Santa Luzia.
Leia essa matéria na íntegra!

Talvez parte da resposta para essas perguntas seja a presença de tantos compostos químicos com os quais convivemos hoje em dia!!
☢☠ Os chamados desreguladores ou disruptores endócrinos são substâncias químicas que alteram o funcionamento dos hormônios. Eles podem causar principalmente alterações na tireóide, testículos, ovários e suprarrenal.
✔ Os maiores exemplos destas substâncias são: bisfenol A (BPA), vários compostos plásticos, pesticidas, aditivos alimentares, poluentes do ar.
♻ Tentar evitar ou diminuir o contato com esses produtos pode nos ajudar a reduzir o risco para estas alterações.

✔ Muitas vezes é isso que me falam... "ainda não consegui ter disciplina para seguir todas as orientações, pois penso: meus exames estão ótimos!!"
✔ Mudança de estilo de vida, com alimentação balanceada, com prática de atividade física regular, sono de qualidade e redução do estresse, não devem ser medidas para curar ou tratar problemas de saúde, mas sim para prevenir que as doenças aconteçam!
♻ A medicina preventiva é muito mais eficaz, tem menor custo, além de ser prazerosa.
Qual o sentido em fazer o seguro de um carro depois que ele foi roubado?? Ou trancar a porta depois de uma invasão por bandidos??
Por isso a recomendação: Mude seu estilo de vida, previna doenças e desfrute de bons momentos!!

O controle no ganho de peso é fundamental para garantir o controle da diabetes gestacional, por isso o ideal é realizar um acompanhamento nutricional para garantir a ingestão adequada de nutrientes e calorias.
A prática de atividade física regular quando liberada pelo médico também colabora na manutenção dos níveis de glicemia.
Uma recomendação muito importante é o fracionamento adequado da dieta, para que os alimentos sejam ingeridos nos horários adequados e nas quantidades definidas de acordo com o objetivo de ganho de peso.
Geralmente as refeições são fracionadas em 3 refeições maiores e 4 refeições menores nos intervalos.
A ceia é muito importante para manutenção dos níveis de glicemia durante o período noturno, prevenindo-se a cetose noturna.
Esta refeição não deve ser excluída e também não deve ser em grande volume.
A exclusão do açúcar é necessária na dieta da gestante diabética.
Os carboidratos são menos tolerados no desjejum da gestante com diabetes gestacional. O ideal é regular a quantidade de carboidratos como pão, torrada, bolo, tapioca, fruta, suco de fruta, geleia, etc. Além de ingerir alimentos ricos em proteínas e gorduras.
As frutas são permitidas, mas não ultrapassar 2 a 3 porções por dia.
Preferir as frutas com casca e/ou bagaço. Evitar suco de fruta, mesmo o da fruta natural, pois eleva muito a glicemia.
As fibras devem estar presentes na dieta, como folhas, legumes, grãos, frutas e cereais integrais.

A alimentação materna é fundamental para a saúde do feto, desde o início da gestação. Por isso, dê atenção especial à sua alimentação, que vai muito além do ganho de peso gestacional.
Até a 14a semana gestacional não é necessário o aumento de calorias. No primeiro trimestre, a gestante deve manter sua ingestão energética, caso esta esteja adequada.
Não é esperado o ganho de peso neste período, mas se houver o limite aceitável é de 2 a 3Kg neste período, e se houver perda, o limite máximo é de 2 kg;
A recomendação de ingestão de água para uma gestante é de 2,0 a 3,0 litros/dia.
Na presença de vômitos, deve-se ficar atenta à hidratação. Líquidos como água de coco, ajuda a repor os eletrólitos perdidos no vômito. O aumento da ingestão de água é importante e o fracionamento das refeições é indicado.
A necessidade de ácido fólico aumenta durante a gestação. Seu médico poderá sugerir suplementação principalmente nesta fase inicial. Para auxiliar com a alimentação, saiba quais são as alimentos fonte: vegetais verde-escuros (couve, agrião, rúcula, espinafre, chicória, brócolis), leguminosas (feijão, lentilha, amendoim), frutas cítricas (limão, laranja, acerola, mexerica), fígado e leite;
Não é recomendado o uso de refrigerante durante a gestação por conter grande quantidade de sódio, açúcar e outros ingredientes potencialmente prejudiciais.
A gestante deve restringir o uso de adoçantes como sacarina e aspartame. O ideal é que se suspenda o uso de adoçantes caso não exista a presença de diabetes;
O açúcar em doses pequenas e limitadas é permitido se não tiver nenhum distúrbio da glicemia.
O uso de chás é proibido durante a gestação devido aos seus possíveis efeitos abortivos.
Evite a ingestão de alimentos crus em restaurantes. Evite peixes crus, inclusive enlatados;
Fique atenta ao queijo fresco caseiro ou artesanal, pois se for produzido com leite não pasteurizado não é adequado para gestantes.
Não é recomendado o consumo de carnes vermelhas mal passadas, ou cruas.
Evite o consumo de comidas frias fora de casa, ficando sempre atenta à temperatura quentinha da sua refeição.
Evite alimentos industrializados.
Evite se deitar logo após o término de cada refeição;
Evite a ingestão de líquidos durante qualquer refeição mais volumosa (almoço e jantar);
É comum observar alterações no funcionamento gastrointestinal, que devem ser normalizadas com alimentação saudável.
Durante esta fase converse com seu nutricionista sobre qualquer incômodo que possa ter, pois pode ter alguma recomendação específica para resolver ou amenizar o quadro.